Um Coração Assassino

“Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’, e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’. Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento. Também, qualquer que disser a seu irmão: ‘Racá’, será levado ao tribunal. E qualquer que disser: ‘Louco!’, corre o risco de ir para o fogo do inferno.” (Mateus 5:21-22)

Você alguma vez já odiou alguém? Já chegou a odiar alguém tanto ao ponto de desejar que essa pessoa estivesse morta? Se você está pensando “ah, não, eu não”, então permita-me reformular a pergunta: Você tem sempre dirigido numa “Free-Way”? Nunca tem pegado estradas ruins?

Se formos honestos, todos nós provavelmente admitiríamos ter tido uma forte antipatia por certas pessoas em um ou outro momento de nossas vidas; pessoas que, quando entravam na mesma na sala em que estávamos, faziam o nosso sangue ferver.

Mas a Bíblia nos diz: “Quem odeia seu irmão é assassino, e vocês sabem que nenhum assassino tem vida eterna em si mesmo” (1 João 3:15). Sabemos que o assassinato é um pecado diante de Deus, mas Deus diz que se nós odiamos outra pessoa, então da mesma maneira estamos cometendo um pecado.

No Sermão da Montanha, Jesus se referia aos Dez Mandamentos quando disse: “Vocês ouviram o que foi dito aos seus antepassados: ‘Não matarás’, e ‘quem matar estará sujeito a julgamento’. Mas eu lhes digo que qualquer que se irar contra seu irmão estará sujeito a julgamento […]” (Mateus 5:21-22).

Podemos nos sentir bem sobre não matar, mas será que nunca odiamos ninguém? A Bíblia nos diz: “Livrem-se de toda amargura, indignação e ira, gritaria e calúnia, bem como de toda maldade.” (Efésios 4:31). A Bíblia ensina que devemos amar, e não odiar, os nossos inimigos (Mateus 5:44).

Somos todos pecadores. Todos nós, de uma forma ou de outra, já descumprimos os mandamentos de Deus. Todos precisamos do perdão de Deus. E isso Ele nos oferece graciosamente e amorosamente, se nos voltarmos a Ele.