Pai, Perdoa-lhes…

“Jesus disse: ‘Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo’. Então eles dividiram as roupas dele, tirando sortes.” (Lucas 23:34)

Você consegue lembrar-se, neste momento, de alguém que você não consegue imaginar que venha um dia a tornar-se seguidor de Jesus Cristo? Eu lhe desafio a começar a orar pelo nome dessa pessoa. Todas as pessoas estão ao alcance das mãos de Deus. Jesus orou pelas pessoas que O crucificaram.  Você consegue orar por alguém que cometeu uma injustiça contra você?

Em um relato do evangelho lemos que os dois criminosos que foram crucificados com Jesus se juntaram à zombaria dos que assistiam tudo. A versão King James da Bíblia os chama de ladrões, mas a palavra usada para descrever o tipo de criminoso que eram é uma palavra muito mais severa. Aqueles homens provavelmente eram rebeldes ou assassinos, envolvidos em ataques contra Roma. Por isso eles foram punidos de uma forma tão dura. Os romanos queriam fazer de exemplo qualquer um que desafiasse o poder do império.

Aqueles dois criminosos ouviram e viram tudo, e provavelmente fizeram tudo aquilo. Mas Jesus fez Seu primeiro pronunciamento na cruz: “Pai, perdoa-lhes, pois não sabem o que estão fazendo […]” (Lucas 23:34). E naquele momento um daqueles duros criminosos acreditou em Jesus. Ele nunca havia visto nada daquele tipo antes. Pense em tudo aquilo a que o criminoso havia sido exposto durante sua vida, que o levou ao lugar onde estava, morrendo por pecado e crime. Ainda assim, ouvir alguém que foi tratado ainda pior do que ele, que foi torturado e espancado (além de ser crucificado), orar pelos Seus inimigos, fez com que este homem acreditasse. Ele se virou para Jesus e falou: “Jesus, lembra-te de mim quando entrares no teu Reino”. (Lucas 23:42)

Nenhuma pessoa está além das orações. Quem precisa de suas orações no dia de hoje?