Olhe-se no Espelho

“Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho?” (Mateus 7:3)

O comentarista Kent Hughes disse: “Achamos tão fácil olhar pelo microscópio para o pecado de outra pessoa, mas para o nosso, olhamos pelo lado errado de um telescópio. Encontramos facilmente um cisco de falsidade no outro, quando temos um amontoado deles nas nossas próprias vidas. A ira contra o cisco na vida de outra pessoa pode vir da culpa reprimida pelo mesmo pecado enorme em nossas próprias vidas.”

Jesus estava usando um pouco de senso de humor quando disse: “Por que você repara no cisco que está no olho do seu irmão, e não se dá conta da viga que está em seu próprio olho? Como você pode dizer ao seu irmão: ‘Deixe-me tirar o cisco do seu olho’, quando há uma viga no seu?” (Mateus 7:3-4). A palavra “viga” refere-se a um pedaço bem grande de madeira, enquanto a palavra “cisco” se refere a um pedacinho, pequeno como pó de serragem. Então, parafraseando livremente: “Como você vai tirar o pó de serragem do olho do seu irmão se você tem um poste no seu olho?”

Uma particularidade interessante dessa frase é que “cisco” e “viga” vêm da mesma palavra original, o que significa que se trata da mesma substância. Noutras palavras, Jesus estava dizendo que a razão pela qual algumas pessoas são tão ligeiras em encontrar defeito na vida dos outros é porque eles conhecem bem esse defeito. Elas identificam certas coisas na vida de outra pessoa porque são culpadas do mesmo pecado — provavelmente em grau maior.

Às vezes as pessoas que esmiúçam o pecado alheio são culpadas de coisas muito piores. Mas se sabemos algo sobre sermos perdoados por Deus, nós mesmos temos de ser pessoas que perdoem. Pessoas perdoadas devem ser pessoas que perdoam.