O Que Realmente Importa no Final

“Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé.” (2 Timóteo 4:7)

Quando Paulo escreveu as palavras de sua epístola final no cárcere em Roma, ele sabia que seu tempo na terra estava chegando ao fim. Ele tinha fielmente proclamado a Boa Nova, e embora tivesse sido avisado de que seria preso se continuasse pregando o evangelho, ele persistiu. Então ele encontrou-se acorrentado em um lugar miserável, primitivo, pequeno e solitário.

No entanto, suas palavras nos passam a ideia de alegria e esperança e não de depressão e desespero.

“Combati o bom combate, terminei a corrida, guardei a fé. Agora me está reservada a coroa da justiça, que o Senhor, justo Juiz, me dará naquele dia; e não somente a mim, mas também a todos os que amam a sua vinda.” (2 Timóteo 4:7-8)

O céu é o que aguardava Paulo, e ele olhou para isso.
No caso específico de Paulo, antes de morrer em definitivo, ele teve ainda a experiência única de ter experimentado o céu em transe e regressado à Terra. É por isso que ele havia escrito anteriormente: “porque para mim o viver é Cristo e o morrer é lucro” (Filipenses 1:21). Paulo compreendia que o céu era uma promoção. Era uma coroação.

Paulo sabia que estava partindo e não tinha arrependimentos na vida. Tudo o que Deus tinha chamado Paulo a fazer, ele havia feito. Havia um sentimento de satisfação ou totalidade de saber que ele tinha vivido a vida na sua plenitude.

Você seria capaz de dizer a mesma coisa? Há coisas em sua vida que ainda precisam ser feitas, coisas importantes? Existem coisas que você sente que Deus lhe chamou para fazer mas que você ainda não fez?

No final, a única coisa que realmente importará é se você realizou os propósitos que Deus tinha para a sua vida.