O Fim é Tão Importante Quanto o Começo…

“Disse Jesus: ‘A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou e concluir a sua obra.” (João 4:34)

G. K. Chesterton disse: “O cristianismo não foi testado e reprovado. Ele foi considerado difícil e por isso permaneceu sem ser experimentado.” Se alguém disser ter experimentado o cristianismo e não ter dado certo, é porque talvez nunca tenha tido um verdadeiro encontro com o Deus vivo. Acredito que qualquer pessoa que tenha realmente encontrado Jesus Cristo, continuará crescendo espiritualmente.

Às vezes nos surpreendemos com pessoas que parecem ter recebido o evangelho, mas, em seguida, o abandonam. Eu diria que se elas realmente fossem cristãs jamais abandonariam a sua fé. É importante lembrar que é possível ser um verdadeiro cristão e se desviar, mas, se você for um cristão de fato, sempre desejará voltar para casa. Se você nunca foi um cristão realmente, não desejará. A Bíblia diz: “Um porco retorna à sua lama e um cão retorna ao seu próprio vômito.” Um porco volta à sua essência; ele nunca muda. Mas se você é um filho pródigo, sempre vai voltar para casa.

Às vezes as pessoas começam com grande entusiasmo, mas não terminam o que começaram. Por outro lado, há pessoas que começam fracas, mas ficam mais fortes com o passar do tempo. Vemos isso na vida de Nicodemos, que era um líder religioso e uma celebridade nacional nos dias de Jesus. João 3 diz que ele foi ter com Jesus à noite, fazendo perguntas. Não sabemos se naquele momento ele já cria, mas quando Jesus foi crucificado, foi Nicodemos que tomou a iniciativa, junto com José de Arimateia, para reivindicar o corpo de Jesus. A questão é que Nicodemos terminou bem.

Alguns têm um início fraco, mas um final forte. Isso é melhor do que ter um começo forte, mas sem conclusão. Por isso, o importante não é como você começa, mas como você termina!