Nunca Ocupado Demais

“Jesus, parando, chamou-os e perguntou-lhes: ‘O que vocês querem que eu lhes faça?'” (Mateus 20:32)

Imagino que Davi estava sentado certa noite numa grande pastagem, contemplando toda a glória da criação de Deus, quando escreveu: “Senhor, que é o homem para que te importes com ele, ou o filho do homem para que por ele te interesses?” (Salmo 144:3).

Eis uma boa pergunta: por que Deus se importaria conosco? Não sei; mas sei que Ele se importa. Se algo nos diz respeito, diz respeito também a Ele. Se é um fardo para nós, então, certamente, é um fardo para Ele também, fardo com o qual Ele quer lidar e resolver.

Vemos isso ilustrado na vida de Jesus. Ele estava a caminho de Jerusalém para morrer na cruz. Seu coração pesava. Ele tinha acabado de soltar a “bomba” de que ia ser crucificado. Sabia que o seu fim estava próximo. Ainda assim, deu-se ao trabalho de conceder do Seu tempo a dois cegos em necessidade.

A Bíblia nos conta que eles estavam sentados à beira da estrada de Jericó quando ouviram dizer que Jesus vinha. Então começaram a berrar: “Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de nós!” (Mateus 20:30). As pessoas tentaram aquietá-los, mas isso os deixou ainda mais determinados a chamar a atenção d’Ele.

Então Jesus parou e lhes perguntou: “O que vocês querem que eu lhes faça?” (versículo 32).

Eles Lhe disseram: “Senhor, queremos que se abram os nossos olhos” (versículo 33). A Bíblia nos conta que Jesus teve compaixão deles e tocou seus olhos e que imediatamente eles puderam enxergar.

Isso é um lembrete de que Deus nunca está ocupado demais para nós. Podemos achar que Deus tenha muita atividade no universo e Ele tem. Mas somos Seus filhos, e Ele sempre tem tempo para ouvir nossas orações.