Evangelismo Inteligente

“Orem para que eu possa manifestá-lo abertamente, como me cumpre fazê-lo. Sejam sábios no procedimento para com os de fora; aproveitem ao máximo todas as oportunidades.” (Colossenses 4:4-5)

Jesus, o mestre da evangelização, usou algo que muitos cristãos de hoje não têm: tato. Tato tem sido definido como diplomacia, sensibilidade. Uma boa definição seria também: “habilidade e graça ao lidar com os outros”. Isaac Newton definiu tato como “a arte de marcar pontos sem fazer inimigos”

Já há uma “ofensa embutida” à mensagem essencial do Evangelho. Não precisamos torná-la mais dolorida sendo insensíveis às pessoas. E isso acontece com muita frequência. Eu já presenciei isso e provavelmente você também. Por acaso um cristão vai chegar a um não-crente e começar a conversa com algo do tipo “Fala, mané! Sabia que você vai para o inferno?”

Esse não é o jeito de estabelecer empatia

Quando Jesus se aproximou da mulher no poço em Samaria, Ele fez a ela uma pergunta. Ele estendeu a mão. Ele a considerou. Evangelismo é diálogo, não monólogo. E o melhor jeito de conquistar uma pessoa é ouvindo-a. Quando iniciamos uma conversa, queremos construir um elo. É isso que devemos fazer. Pergunte às pessoas a respeito delas. O assunto preferido das pessoas é elas mesmas. E à medida que elas falam, conquiste-as. Faça perguntas. Você não precisa cortá-las ou interrompê-las. Você não precisa contradizê-las nem insultá-las. Apenas ouça

Claro, haverá um momento para os nossos argumentos. Certamente precisamos defender a nossa fé, mas tenho visto cristãos ganharem a conversa e perderem a alma. Prefiro ganhar a alma, ouvir e trocar ideias. Quando você fizer isso, saberá, durante a conversa, como responder com a mensagem do Evangelho. Escute com paciência. E então responda apropriadamente.