Batismo Nas Águas

Duas Vezes ao ano realizamos o “Batismo nas Águas”.

#Venha nascer “da água e do Espírito”

Confira as Fotos – Batismo 26 de Março de 2017


O Batismo é um assunto importante nas Escrituras. Muitos textos mostram que o batismo está intimamente relacionado com outros temas fundamentais do evangelho.

Quando Jesus encarregou os apóstolos da Grande Comissão, ele fez o batismo ser um elemento central da mensagem que eles deveriam pregar ao mundo:

Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: Toda a autoridade me foi dada no céu e na terra. Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os a guardar todas cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou convosco todos as dias até à consumação do século” (Mateus 28:18-20).

Quando Paulo apresentou os sete fundamentos da unidade cristã, o batismo era um deles: “Há somente um corpo e um Espírito, como também fostes chamados numa só esperança da vossa vocação; há um só Senhor, uma só fé, um só batismo; um só Deus e Pai de todos, o qual é sobre todos, age por meio de todos e está em todos” (Efésios 4:4-6).


Batismo nas Águas

Mais sobre o “Batismo”

Para muitos o batismo em água é visto como sendo não mais do que um simples dever de todo Cristão. Para estes batizar-se, significa obedecer ao mandamento e exemplo de Jesus. De acordo com os registros bíblicos, o batismo em água era considerado de máxima importância para a Igreja Primitiva. A julgar pelo livro de Atos, era administrada logo após a conversão da pessoa. Isto era natural, porque Jesus ordenara como um dos ritos distintos da Sua Igreja. O batismo em água é um ato de obediência à ordem de Cristo para que fôssemos batizados, bem como uma declaração do intuito de sermos seus discípulos (Mt. 28.19; João 15.14).

O  Batismo em água não é somente o símbolo da morte e ressurreição de Jesus Cristo. Ainda há um profundo significado por trás disso. Tem uma abrangência espiritual muito fundamental para a nossa salvação e, é também de caráter  sagrado (Atos 2.38; Rom 6.3; Cl. 2.12). O batismo em água não é em si a nossa salvação, mas tem a ver com a nossa salvação, está ligado de modo íntimo com a nossa salvação (veja 1 Pedro 3.21). Não podemos desprezar o batismo em água a ponto de considerá-lo insignificante; se foi de máxima importância para a Igreja de Cristo, no primeiro século, e o próprio Jesus não desprezou o batismo de João, que considerou como cumprimento de toda a justiça; e como faríamos nós? Filipe ensinou o Evangelho de Cristo ao eunuco etíope e, não se esqueceu e nem menosprezou o batismo em água, ensinou a sua importância e o seu valor, de maneira que o eunuco sentiu a sua necessidade e «creu» no batismo, de modo que na primeira água que encontraram, ele não resistiu, quis batizar-se e foi batizado por Filipe (Atos 8.36,38).

É preciso considerar que, o Batismo somente é válido quando precedido do arrependimento dos pecados e da conversão da pessoa ao Senhor Jesus (Atos 2.38), da «fé» em Cristo e na importância do Batismo. Ser batizado sem fé, com um coração duvidoso, não crendo nos propósitos e nas importâncias do Batismo, é pecar contra Jesus Cristo. Por sinal a Bíblia diz: «E tudo o que não provém da fé é pecado» (Rom 14.23). Em outra parte diz: «Ora sem fé é impossível agradar a Deus, porque é necessário que aquele, que se aproxima de Deus, creia que ele existe, e que é galardoador dos que o buscam» (Hb. 11.6). Nada podemos fazer para a nossa salvação se não tivermos em Jesus Cristo como Nosso Salvador. Então, a verdadeira  é indispensável para o Batismo em água. Não se pode ir batizando alguém sem que este demonstre a devida em Jesus Cristo e no batismo.


Curso para Novos Convertido – Escola de Discípulos

#Participe